AgroBrasília reflete diversidade e produtividade do Planalto Central

AgroBrasília reflete diversidade e produtividade do Planalto Central
jul
08
Qua

Por Revista Cultivar

É no cenário diverso e fértil do Distrito Federal que ocorre a AgroBrasília, uma das feiras do agro mais relevantes do País, que tem, entre seus objetivos, o de proporcionar um ambiente de negócios e de aperfeiçoamento da atividade agropecuária. Em 2020, a Feira ocorre de 6 a 10 de julho, totalmente de maneira digital, a partir de uma plataforma eletrônica, virtual, online e gratuita, que apresentará aos produtores as tecnologias, sistemas e processos mais modernos do mercado.

A organização da AgroBrasília está empenhada em mostrar a diversidade da região, que é um dos fatores que explicam sua força e também a força da Feira. “O evento focou sempre em atender produtores de todos os portes e das mais variadas culturas e isso, com certeza, é o que queremos fazer nessa edição virtual”, comenta o presidente da Cooperativa Agropecuária da Região do Distrito Federal (Coopa-DF), que promove a AgroBrasília, José Guilherme Brenner

Ao longo dos anos, a Feira vem mostrando sua relevância no setor, com recordes sucessivos de público, expositores e negócios fechados. Em 2019, 121 mil pessoas visitaram a AgroBrasília, que reuniu 480 expositores. No total, o montante de compras fechadas alcançou R$ 1,2 bilhão. É um evento consolidado, que faz parte da agenda do produtor. Esse ano, em razão da pandemia do novo coronavírus, a organização decidiu realizar uma versão digital.

Altos índices de produtividade, maiores que a média nacional, e uso intensivo de tecnologia são alguns dos fatores que tornam a região do Planalto Central uma vitrine, com destaque para a soja, sementes de soja, feijão irrigado, milho irrigado, trigo irrigado, algodão. Além disso, no Distrito Federal e nos estados vizinhos existem culturas de grãos, verduras, frutas, flores, rebanhos suínos, de aves, ovinos, caprinos.

A irrigação é outro fator determinante do forte desenvolvimento da agricultura local – uma área irrigada pode produzir até 4 vezes mais e ter uma produtividade 3 vezes maior. No Planalto Central, que oficialmente abriga um polo de irrigação, existem cerca de 250 mil hectares irrigados, cultivados com inúmeras culturas.

Na região estão localizados, por exemplo, os municípios de Unaí e Cristalina, as duas cidades com maior área irrigada da América Latina. No Distrito Federal, o destaque vai para o trigo irrigado, com um dos melhores índices de produtividade do Brasil.

Soja e sementes de soja

Além disso, a região, em especial o Distrito Federal, vem se destacando na produção de sementes de soja – a exportação local chega a 39 mil toneladas. Estima-se que o mercado distrital de sementes da cultura movimente em torno de R$ 20 milhões por ano-safra. Nos anos de 2017 e 2018, mais de 30%, ou cerca de 27 mil hectares, da produção total da região eram destinados ao segmento, de acordo com levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

As sementes do Distrito Federal – 70% delas são exportadas para Mato Grosso – são um insumo importante que garante a alta produtividade de outros estados. Para esta safra, a produção estimada de soja atingiu 120,3 milhões de toneladas, com crescimento de 4,6% em relação à safra passada. A cultura apresentou produtividades recordes, com estados do Planalto Central no topo do ranking – Mato Grosso, Goiás, Tocantins e o próprio DF.

Para o presidente da Feira, Ronaldo Triacca, a AgroBrasília representou uma quebra de paradigma dos grandes eventos do setor ao atrair pequenos e médios produtores, que não frequentavam as feiras mais tradicionais. “O acesso desses segmentos resultou em ganhos tecnológicos, de conhecimento, e sociais, que podem ser aferidos na maior produtividade das propriedades de toda a região do Planalto Central, maior renda para o produtor, incremento na gestão das empresas rurais, maior empreendedorismo. Os grandes produtores também tiveram o acesso facilitado a esses recursos”, avalia.

A AgroBrasília tem o apoio da Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural do Distrito Federal (Seagri-DF), da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal (Emater-DF) e da Centrais de Abastecimento do Distrito Federal (Ceasa-DF).